A depressão já é considerada a doença mais incapacitante no mundo.

Segundo as estimativas da Organização Mundial de Saúde (OMS), os prejuízos à economia chegam a R$ 210 bilhões só no Brasil.

A Associação Brasileira de Psiquiatria (ABP) já estimou que 20% a 25% da população tiveram, têm ou ainda apresentarão depressão.

Dados do Ministério da Fazenda também mostram que uma pessoa afastada do trabalho devido a problemas emocionais demora, em média, mais de 200 dias para retornar às atividades.

O quadro Flix Entrevista aborda o assunto como sendo o principal responsável pelos afastamentos de colaboradores.

O empreendedor e CEO da startup “Psicologia Viva”, Fabiano Carrijo, esclarece como lidar com esse mal e como auxiliar os funcionários.

Ele também apresenta ferramentas disponíveis no mercado que podem facilitar a busca por ajuda.

A doença se trata de um transtorno mental e estima-se que mais de 300 milhões de pessoas sofram de depressão em variadas faixas etárias.

A depressão também pode levar ao suicídio e é responsável por cerca de 800 mil mortes anualmente, sendo a segunda principal causa de morte de vítimas entre 15 e 29 anos.

De acordo com a OMS, a doença pode ainda causar ao paciente um grande sofrimento e disfunção no trabalho, na escola ou no meio familiar.

“No ambiente de trabalho, a depressão tira a vontade de trabalhar. É um prejuízo para os dois lados porque o colaborador fica desmotivado e isso afeta também a empresa”, comentou Fabiano.

Morosidade do diagnóstico da depressão

Um dos grandes problemas está no diagnóstico da doença, que nem sempre é rápido ou preciso.

Em diversos países, muitas pessoas com quadro de depressão não são diagnosticadas corretamente e outras que não têm o transtorno são muitas vezes diagnosticadas de forma inadequada, com atendimentos desnecessários que poderiam estar sendo oferecidos de forma eficaz para quem realmente precisa.

Outro problema também está na falta de profissionais capacitados para fazer a avaliação correta do paciente.

Em muitas vezes, a pessoa passa por diversos setores dentro da rede de Saúde e por vários profissionais até realmente descobrir que está depressiva.

Isso tem onerado bastante aos cofres públicos e, em caso de atendimento particular, para o bolso do próprio paciente.

Quando o funcionário recebe o diagnóstico e precisa ser afastado das funções, o prejuízo também acaba sendo arcado pelas empresas e o governo.

As principais áreas impactadas por esse fator são: transportes, indústrias, telemarketing e construção civil.

“São afetadas devido à carga de trabalho e estresse do dia a dia. Mas essas empresas já estão buscando uma solução tanto presencial, com atendimento psicológico, quanto por meio online com ferramentas já disponíveis”, destacou o consultor.

Tecnologia a favor

O atendimento psicológico de modo online tem sido um grande aliado das empresas e pacientes com depressão, dentre outros distúrbios ligados à saúde mental.

O funcionário pode usar o smartphone e fazer a sua consulta online, de forma privada e sigilosa, com profissionais em uma sala reservada dentro da própria empresa ou qualquer outro lugar onde estiver.

Para entender mais como funciona a plataforma de orientação psicológica online e os benefícios da ferramenta, assista a entrevista completa com consultor no Flix do Varejo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here