Perder vendas por falta do produto no estoque é um dos piores erros que se pode cometer no varejo em pleno século 21. Os prejuízos podem ser imensuráveis e impactam diretamente na satisfação do cliente em relação à loja. Tanto os negócios físicos, quanto o comércio eletrônico precisam contar com um bom gerenciamento de estoque para suprir as demandas, principalmente durante os períodos de pico de vendas.

O que é estoque de segurança?

O estoque de segurança, ou também chamado de estoque de reserva e de proteção, é a quantidade mínima que o varejista precisa manter no estoque de determinados produtos a fim de evitar a perda de vendas por causa de desabastecimento. Ao manter um estoque de segurança, os lojistas conseguem antecipar a solução para situações que poderiam comprometer a operação como atrasos na entrega, problemas com fornecedores ou até uma demanda além do esperado.

O ideal para montar esse tipo de estoque é saber observar bem o comportamento de compra dos clientes, além de entender quais produtos e categorias são mais interessantes para se repor no mix. Paralelamente ao prejuízo de não ter os itens na loja, essa falta de noção mais precisa para a montagem do estoque também pode acarretar na sobra de produtos, o que geralmente também é um grande prejuízo para o negócio.

O que mais devo olhar?

Além da escassez de itens, é possível detectar as falhas para manter um estoque de reserva quando o lojista reparar que determinados produtos estão há muito tempo parados. Aí é a hora de se perguntar o que ocorreu para a sobra: adquiri de uma promoção do fornecedor ou calculei a demanda de forma errada e nem reparei que eu já contava com o estoque do produto?

Cautela sempre

Não há uma regra universal para conseguir minimizar os riscos gerados pelo excesso ou falta de estoque na loja. O que o varejista precisa ter é cautela para planejar o entra e sai de produtos e, sobretudo, ter pleno conhecimento do público para o qual ele vende.

Vamos pensar na rotina do varejo alimentar. Os supermercados costumam ter uma grande rotatividade nos estoques. Se toda vez que faltar produtos nas gôndolas e não tiver os produtos de reserva para repor, o consumidor terá sempre a impressão de falta de opções e vai querer buscar os itens na concorrência. A ruptura é negativa para os resultados e deve ser evitada sob todas as hipóteses.

Aí entra o estoque de segurança que nem sempre precisará ser utilizado, mas na urgência entre um pedido e outro para repor o mix, ele dará uma margem boa para reposição.

Nunca deixe de perder vendas

Contar com o estoque de segurança é manter a loja abastecida e ter prazo para que o varejista se programe para o próximo pedido e reponha os itens mais adquiridos pelos clientes na loja. É uma forma efetiva de não perder dinheiro com aquela venda que deixaria de ser feita pela falta do produto.

Mais no blog Flix do Varejo

Nas últimas semanas, o blog Flix do Varejo trouxe uma série com três artigos sobre inventário de estoque:

A ferramenta é ideal para gerenciar a estocagem dos itens e pode auxiliar muito bem o varejo para a manutenção também do estoque de reserva. Fique com a gente que na próxima semana vamos continuar falando sobre esse tipo de estoque, com dicas importantíssimas para o varejista.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here