Cada crise que o mercado enfrenta, todos saem fortalecidos dela, seja nas relações com o próximo ou até mesmo na forma de gerir os negócios. Se adaptar ao novo cenário e transformá-lo em aprendizado exige o que chamamos de inteligência emocional, que se refere a habilidade do ser humano de aprender a lidar com as próprias emoções, usando isso em benefício próprio, principalmente em momentos de crise.

Mas o que a inteligência emocional tem a ver com a sobrevivência nas organizações em tempos de crise? A reposta é tudo. Se o gestor de uma empresa conhece bem suas emoções e sabe trabalhá-las, ele terá uma visão ampliada da realidade podendo ser mais certeiro nas decisões a serem tomadas para minimizar ao máximo as perdas ou até mesmo para sair de vez da turbulência.

A inteligência emocional proporciona empatia, bom humor e proatividade, pontos essenciais em qualquer momento de crise. Uma empresa que prioriza uma liderança com altos índices de inteligência social só tem a ganhar com este profissional que conseguirá sair mais rápido da maré ruim com a ajuda de toda a equipe que passa a sentir confiança no líder que está sabendo levar a fase de forma mais leve.

O equilíbrio emocional é fator decisivo para encarar uma crise. Se a pressão já está grande, sair do eixo só vai gerar mais descontrole e fazer com que você tome atitudes erradas, além de desestabilizar sua equipe. Use o seu emocional a seu favor.

Dicas Sebrae sobre inteligência emocional

O Sebrae também pensa desta forma e destacou 10 motivos para você, gestor de loja, usar a sua inteligência emocional em tempo de crise:

1 – Melhora a relação com o outro;
2 – Diminui a ansiedade e o estresse;
3 – Aumenta a empatia;
4 – Dá mais poder de decisão;
5 – Ajuda a estabelecer metas mais claras e palpáveis;
6 – Auxilia no crescimento da produtividade;
7 – Ajuda a controlar mais o tempo;
8 – Contribui com a autoestima;
9 – Induz mais responsabilidade e comprometimento;
10 – Traz equilíbrio emocional.

Quando a maré não está boa, nada mais justo do que assumir a condução do barco e remar todos em busca de um cenário diferente para sobressair de uma crise, que pode surgir sem qualquer tipo de aviso.

Mudar hábitos, costumes, podem ser necessários durante o percurso da vida e porque não na sua loja? Será o momento de rever a gestão do seu negócio, de se aproximar da equipe para juntos chegarem ao ideal para todos?

E se são em momentos de crise que mais realizados iniciativas, vamos a outras dicas do Sebrae para você adaptar o seu negócio em cenários conturbados.

Se faça presente, invista em relacionamento

Melhore a sua relação com o próximo, seja ele cliente, colaborador, fornecedor. Em tempos de crise, ser ainda mais parceiro com quem se relaciona é essencial para ganhar a confiança do outro que está à espera de alguma atitude diferente da sua parte.

Seja uma fonte de verdade

Sua loja, seu negócio, precisa passar toda a confiança para as pessoas as quais se relaciona. Seja, então, essa fonte confiável de informações precisas e com isso motive o seu público em tempos incertos. Lembre-se que esse público inclui os colaboradores, que também esperam de você alguma atitude boa.

Mostre empatia

O sentimento de empatia pode mudar a sociedade. Se coloque mais no lugar do outro e provará do gosto bom que é fazer o bem ao próximo, espalhando atitudes boas ainda mais em momentos de crise. É hora de transmitir paz e de diminuir a ansiedade e o estresse.

Ajude as pessoas a construir novas rotinas em casa

Se o momento de crise requer ficar em casa, que tal ajudar na mudança desse hábito? Você pode incentivar as pessoas a fazer as compras pelo seu site, rede social ou pelo whatsapp, por exemplo, e ainda entregar na casa dele. Se você não tem esses serviços na loja é bom ir pensando, pois são em momentos de crise que o cliente costuma buscar com maior frequência essas alternativas. Coloque no seu planejamento esses pontos, mas antes disso você pode orientar o seu consumidor a ir à loja com a lista pronta, assim fica mais fácil realizar as compras em um curto espaço de tempo. Mostre ao consumidor que você está à disposição para ajudá-lo.

Comunicação

Continue comunicando com o seu público e ajuste a linguagem conforme o momento, conforme a crise e adapte seu modelo de negócios para esse novo cenário. Busque agregar valor, inove, invista em atendimento ao cliente, modelos alternativos de preços e transparência nas comunicações. Preste atenção ao que seu cliente fala.

Leia também:

Mudanças trabalhistas no varejo diante o coronavírus
Retailment: forte tendência para o varejo em 2020

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here