O uso correto dos aplicativos de mensagens no varejo

Com o avanço da tecnologia, o varejo tem que acompanhar as novidades para se manter no mercado competitivo.

Nos últimos 10 anos, o setor levou para os seus negócios ferramentas inovadoras que otimizam os processos, melhoram o relacionamento com o cliente e tornam a experiência de venda mais lucrativa.

O próprio consumidor mudou seu perfil de compras.

E comprar passou a ser uma atividade social com constante avaliação de satisfação pessoal.

Com isso, o uso de tecnologias no varejo é um grande investimento para oferecer uma compra de forma mais prazerosa e que atenda às demandas dos clientes.

Pensando em um meio facilitador, alguns vendedores e empresas começaram a trabalhar e realizar vendas utilizando aplicativos de troca de mensagens, como o WhatsApp.

Mas, até quando utilizar dessa tecnologia pode ajudar no crescimento da sua empresa?

Quais as vantagens e os riscos da utilização na hora de uma negociação?

Esse é um dos temas do Flix Entrevista com o especialista em Marketing Digital, Thiago Muniz.

São dois vídeos bem explicativos que poderão ajudar você, varejista, a utilizar de forma correta essa ferramenta digital.

O uso para fins comerciais

Uma pesquisa da Panorama Mobile Time/Opinion Box mostrou que 71% dos consumidores do m-commerce, ou seja, que utilizam seus smartphones, realizaram ao menos uma compra nos últimos 30 dias utilizando o aparelho.

E duas ferramentas têm a preferência na hora de realizar um negócio: o WhatsApp e o Facebook Messenger, tendo o nível de satisfação chegando ao patamar de 88%.

Como utilizar de forma correta

A venda deve ser consequência.

A empresa deve manter um canal de comunicação com o cliente.

Utilizar de forma com que o consumidor sempre esteja a par de promoções, produtos novos.

Mas deve-se atentar a alguns aspectos para não transformar o canal um fiasco.

Ao invés de criar um grupo, para divulgar produtos e promoções, faça uma Lista de Transmissão.

Com isso você envia uma mensagem de forma particular para várias pessoas ao mesmo tempo, evitando assim que discussões sejam geradas e o foco desviado.

Outro fator que conta muito a favor da empresa é identificar os interesses do consumidor na hora de criar essa lista.

Outra dica é criar a lista de transmissão separando os clientes pelo sexo: masculino e feminino.

Desta forma, você poderá começar a frase, por exemplo com “Bom dia, Senhor!” ou “Bom dia, Senhora!”.

A linguagem textual também é importante.

Busque o uso mais profissional, evitando sempre os erros gramaticais e o uso de gírias, assuntos polêmicos, “memes”, entre outros materiais que desvirtuem a mensagem a ser enviada.

Via de mão dupla

Assim como você envia mensagem para o consumidor, ele também vai querer tirar dúvidas sobre produtos e serviços.

Para isso você deve contar com uma equipe bem treinada para ajudar esses clientes na escolha correta, o que pode gerar uma satisfação maior e a fidelização.

Agilidade na hora de responder também conta bastante para atrair mais clientes.

Mas lembre-se. É um caminho quase que sem volta.

O consumidor pode se acostumar e sempre buscar informações pelas ferramentas.

Independente do dia e da hora! Esteja atento quanto a isso e não deixe de dar uma satisfação sempre.

Quer saber mais dicas? Veja os dois vídeos completos do Flix Entrevista com Thiago Muniz, somente aqui, no Flix do Varejo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here