O que parece apenas o cumprimento de normas e garantia de segurança, para os consumidores pode estar muito além disso. A sinalização interna da loja é capaz de influenciar diretamente na satisfação do cliente. Além disso, assegura a fidelidade dele com a empresa.

Para o consumidor, há poucas coisas tão constrangedoras para a experiência quanto se sentir perdido no interior do estabelecimento. Por isso é preciso ter zelo na hora de projetar as indicações dentro da loja. Isso vale desde as saídas de emergência, indicação de banheiros e a sinalização para os variados setores.

Tipos de sinalização

Existem três principais tipos de sinalização interna para o comércio: sinalização de espaço, de promoções e de segurança. A primeira trata sobre orientar o cliente quanto à estrutura da loja. É sempre importante dar clareza aos locais onde ficam os banheiros e caixas, atendimento ao cliente. Bem como gerência, açougue, área de sacolão, panificadora, entre outros.

Também é possível incrementar as dependências da loja, especialmente os supermercados, com placas diferenciadas para destacar itens promocionais ou para impulsionar a venda de determinados produtos. Essa sinalização especial ajuda a atrair o cliente para a categoria que se pretende dar destaque, impulsionando a venda dos itens.

Sinalização de segurança

A terceira tem como intuito garantir, como o próprio nome já diz, a segurança dos clientes. Essa parte orienta para as saídas da loja, localização de extintores de incêndios e restrição de acesso. Também faz parte dessa sinalização avisos de pisos molhados ou até áreas em manutenção.

Há normas específicas (N-26 e NBR 7195) que dispõem sobre o uso das cores para as placas de sinalização. O objetivo é identificar equipamentos de segurança, delimitar áreas de acesso e advertir sobre eventuais riscos ao cliente.

A cor vermelha, por exemplo, é utilizada para identificar combate a incêndios, sinais de proibição e proteção. As placas de cores laranja também costumam ser usadas para indicar perigo. A amarela indica cautela e geralmente é colocada em corrimões, pisos, elevadores etc.

A sinalização branca demarca passarelas, faixas de segurança, setas de sinalização de sentido e circulação. Essas são as principais, mas ainda podem ser encontradas as sinalizações em preto, usualmente para coletores de resíduos. Azul para uso obrigatório de equipamentos de proteção e verde para indicar local seguro. Púrpura, quando é preciso sinalizar perigos de origem de radiações eletromagnéticas penetrantes e partículas nucleares.

Veja abaixo algumas dicas importantes de boa sinalização para alcançar esses resultados:

Jornada de compra

Entender qual a jornada que o shopper faz durante as suas compras na loja pode embasar o projeto de sinalização do ponto de venda. Entender quem é o cliente é um bom passo para pensar a sinalização interna. Ainda nesse contexto, importante conhecer os produtos que ele compra e os corredores de maior movimentação. Além, claro, dos setores que mais interessaram

Identidade visual

Contar com um padrão nessa sinalização não só atende as devidas normas. Também garante um aspecto maior de organização e define melhor a identidade visual do estabelecimento. O conjunto de mesma paleta de cores e fontes, por exemplo, também deixa o ambiente mais harmonioso. E com isso permite que os consumidores se sintam mais à vontade na loja. Bem como conseguem ter maior facilidade para se localizarem no estabelecimento.

Setores bem sinalizados

Sabe aquela sensação de pegar na mão da criança e guiá-la, com segurança e conforto? É praticamente o mesmo sentimento que deve ser transmitido ao cliente a partir da sinalização interna da loja.

Ele precisa se sentir livre e ao mesmo tempo orientado para quais setores deve ir para adquirir determinados produtos. O varejista precisa saber sinalizar as prateleiras, corredores e demais áreas. Isso ajuda o cliente a encontrar o que procura, efetivando as compras.

Nunca se esqueça! Uma loja bem sinalizada é sinal de organização e segurança. Além de garantia de satisfação do cliente, que vai usufruir da melhor experiência de consumo possível.

Leia também:

Acessibilidade: mais do que lei, questão de respeito
5 dicas para lidar com tantos e-mails

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here