O Flix do Varejo trouxe na última semana matéria sobre os impactos positivos nas vendas da loja quando é executado de maneira satisfatória o vitrinismo. Além das dicas básicas para se montar uma boa vitrine, agora vamos mostrar como montar uma vitrine diferenciada e, claro, reverter o resultado da atração em lucro ($$).

Mais do que atrair clientes para a loja, o vitrinismo é uma importante ferramenta para estabelecer uma comunicação visual com o público e fortalecer a marca. Para atingir esses resultados, o lojista precisa prezar pela harmonia entre a disposição dos produtos, o uso de cores, iluminação e sonorização, se for o caso.

1 – Cores

Não há muitas regras quanto à paleta de cores. Vai depender do contexto da vitrine, do tema, dos itens e outros objetos que vão ornamentar o espaço. Mas o ideal é sempre que os produtos se sobressaiam e contrastem com o cenário da vitrine. A montagem da vitrine pode ser inspirada por datas sazonais e comemorativas, sem perder a identidade da marca.

A iluminação também pode ser um grande diferencial na hora de despertar o olhar do cliente. É comum aqueles produtos que carecem de maior atenção receber focos de luz mais intensos.

DICA VISUAL: Uma pequena loja de produtos decorativos pode ser cheia de opções de todas as cores e tamanhos, e isso causaria muita poluição visual. Porém, na vitrine, o fundo branco ressalta as formas e cores dos artigos que o lojista quer dar mais foco e vender mais rápido.

2 – Contato

Além do contato visual, as pessoas cada vez mais buscam por uma experiência completa de compra. Aguçar os sentidos, não apenas via campo visual, é importante para deixar o shopper à vontade no ambiente e em contato direto com os produtos, tocá-los e experimentá-los.

Dentro de uma loja de eletrônicos é muito comum vermos um layout para a exposição dos produtos de forma que o cliente possa manusear os aparelhos e se decidir sobre qual atende melhor às suas necessidades. É exatamente isso que os consumidores procuram. Experiência sensorial.

DICA VISUAL: o cliente aumenta sua afeição pelo produto quando pode interagir com ele.

3 – É preciso ser estratégico

É ideal saber que o vitrinismo vai muito além da fachada e é preciso aplicá-lo o tempo todo no interior da loja, aproveitando pontos estratégicos que vão convencer o cliente de parar para olhar o produto e levá-lo. Hoje é possível, pela internet mesmo, buscar inúmeras inspirações via aplicativos ou ferramentas para o varejo como o Pinterest.

Muito especialistas costumam orientar o varejo com a “regra do três” para fazer a exibição dos produtos. Uma boa dica para isso é colocar os itens lado a lado, organizando-os por altura: produtos mais altos, médios e curtos. É natural que a gente mova o olhar à medida que vemos coisas assimétricas porque prende a atenção.

DICA VISUAL: Produtos expostos de forma assimétrica.

4 – Bom senso

Aplicar o vitrinismo no PDV exige muito bom senso, noções de estética e criatividade. Mas, sobretudo, o reconhecimento do perfil do cliente e da identidade da marca. Ao ter todas essas questões alinhadas, o varejista com certeza criará o diferencial na loja e terá grandes resultados em potencial de vendas.

A atenção com o perfil do cliente não é somente para aplicar no estilo da sua vitrine ou decoração da loja, mas até na maneira de servir: uma padaria ou mercearia próxima a colégios e empresas pode se beneficiar de PDV com exposição de pacotes pequenos de lanches e tira-gostos. Comidas de conveniência se tornam um grande atrativo para quem passa no seu comércio em horários agitados.

DICA VISUAL: se sua marca vende roupas casuais com estilo rústico, porque não estender o estilo para a decoração interna da sua loja? A luz e o ambiente rústico são declarações do estilo que você quer passar para seus clientes.

5 – Atenção aos preços

Deixe os preços em evidência, mantendo-os do mesmo lado em todas as mercadorias para neutralizar sua interferência. Lembre-se selecionar bem os produtos que vão para a vitrine e que os consumidores buscam sempre pela famosa “pechincha”, ou seja, preços mais acessíveis. Então, tente compor itens com preços mais acessíveis ao lado dos tradicionais da loja.

6 – A decisão final

O primeiro contato que o cliente tem com a loja é através da vitrine, não é mesmo? É nessa hora que ele resolve se vai entrar ou não na loja. Por isso a importância de trabalhar a vitrine sempre. É ela que vai convidar ou dar adeus ao cliente. Se bem planejada, com certeza passará a identidade do seu varejo ao cliente, que saberá exatamente o que a loja tem para oferecer.

Mas não custa nada dar um empurrãozinho. Chamadas na vitrine são comuns, mas o importante ao escolher o que você vai escrever é selecionar o argumento certo que fará o cliente entrar.

DICA VISUAL: em um PDV de produtos de café da manhã, ou uma vitrine, a frase na sacola diz “mas primeiro, café”. É uma chamada charmosa e ao mesmo tempo deixa implícito ao consumidor que a ‘hora do café’ é mais importante que qualquer outra coisa.

MAIS SOBRE VITRINE

Na próxima semana vamos mostrar alguns conteúdos do Flix e como você pode utilizar dicas e recursos para melhorar sua estratégia de exposição de produtos!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here